08 dezembro 2016

VINILLIS FRUTIFERIS / CURTA-METRAGEM

   
Vinillis Frutiferis é um curta-metragem do diretor Victorhugo Passabon Amorim. O curta conta a história de uma espécie de árvore que dá discos de vinil e toca músicas de acordo com a preferência do dono do terreno. Essa espécie rara cresceu em propriedades das comunidades de Castelinho e Vila Maria, em Vargem Alta (ES), e precisa que os beija-flores da região toquem seus bicos nos vinis para que a música seja executada.

Num jogo entre realidade e ficção, descobrimos as histórias e as relações dos moradores que preservam essa espécie até hoje.


                               

                         

Me apaixonei por este curta-metragem que  passa  no ES, por isso resolvi compartilhar com vocês. Ele estará completo na internet assim que acabar de passar no programa "Revelando os Brasis", no canal Futura.


Vinillis Frutiferis já participou de 2 festivais de 
cinema, um em Muqui, o FECIM, e outro no Rio de Janeiro e Paraty - O Festival Mimo de Cinema.

     


1- O que levou você a produzir este curta?


Victorhugo Passabon Amorim"Depois que conclui a Universidade de Jornalismo que fiz em Vitória, fui morar na casa dos meus pais em Castelinho, Vargem Alta. Como sempre gostei de escrever, lá comecei a escrever poesias e histórias, sem nenhum compromisso sério, só pelo desejo. Mas um dia, eu vi na televisão a propagando do concurso de histórias do projeto "Revelando os Brasis - Ano V". Foi aí que eu me concentrei a escrever uma história para esse concurso na possibilidade de fazer um filme. Em um dia eu escrevi toda a história para o concurso, que depois foi adaptada em roteiro. A idéia veio pelas imagens e objetos que eu tinha em volta de mim. Eu estava sentado na sala de casa, do lado de fora eu via árvores, pássaros e beija-flores, e na minha sala tinha discos de vinil e um tocador de discos. Então juntei essas imagens e criei a fábula da árvore, cujos frutos são vinis e que os beija-flores com o seus bicos tocam os discos. À partir daí eu percebi que para a realização de um filme eu precisava dar vida à essa árvore. Foi então que eu misturei a minha fábula com histórias reais de pessoas que eu já conhecia de Castelinho e de Vila Maria, comunidade vizinha. Eu me inscrevi no concurso do "Revelando os Brasis". Fui selecionado junto com mais 19 pessoas de todo o Brasil, dentre 951 inscritos, e hoje o filme está realizado."




Créditos ao Diretor Victorhugo Passabon Amorim, toda sua equipe e ao programa "Revelando os Brasis"

Nenhum comentário: